07 de julho de 2015

Capitão América na Segunda Guerra Mundial

Curiosidades

É dito que Steve Rogers, o homem por trás do uniforme do herói, nasceu dia 4 de julho de 1917 (independência dos Estados Unidos… QUE COINCIDÊNCIA).
O lado extremamente patriota do nosso querido Capitão América não é novidade para ninguém, correto?

Porém poucos sabem que o personagem foi utilizado pelo governo americano durante a Segunda Guerra Mundial, ajudando soldados e familiares nos dois continentes! (tópico 3)

O governo americano precisava que os soldados acreditassem que venceriam a Segunda Guerra Mundial, e o Capitão América foi usado para isso! http://petitandy.com

Conforme falamos, Steve Rogers nasceu em 1917. Sendo assim sua adolescência se passou durante a Grande Depressão Americana (que teve início em 1929).

Mesmo crescendo na pior época da economia americana, isto não o impediu de ficar impressionado com as imagens que eram divulgadas do que estava acontecendo na Europa: a Segunda Guerra Mundial.

A partir daqui todos conhecemos: ele, um rapaz franzino (com 1,68 de altura e pesando 48 kgs), queria muito se alistar no exercito mas nunca era aceito. Apenas quando conhece um cientista que o escolhe para um programa de alteração genética é que Steve ganha o corpo que conhecemos, virando então o Capitão América.

A Criação

O governo americano precisava que os soldados acreditassem que venceriam a Segunda Guerra Mundial, e o Capitão América foi usado para isso! http://petitandy.com

Em 1940 foram lançados nos Estados Unidos alguns personagens patriotas.
Com a participação americana na guerra cada vez mais iminente, as vendas de quadrinhos do gênero se tornaram um sucesso!

Então é lógico que a Marvel quis lançar o seu também, por isso tiveram o personagem ficou pronto em poucos meses.

Com o objetivo de chamar atenção para o lançamento, logo na capa o Capitão América aparecia dando um soco na cara do Hitler!
A imagem não aparecia na história, a ideia era apenas para mostrar para que veio o herói.

É claro que com uma capa destas ele foi um sucesso de vendas!

Os Personagens na Guerra

O governo americano precisava que os soldados acreditassem que venceriam a Segunda Guerra Mundial, e o Capitão América foi usado para isso! http://petitandy.comComo todos sabem, o grande vilão por trás das histórias do nosso patriota é sempre um: HYDRA!

A divisão nazista é liderada pelo Caveira Vermelha, mas o interessante é que o próprio Capitão se assemelha muito mais com o ideal nazista (forte, loiro e olhos claros) do que os personagens criados. Os japoneses só viraram inimigos após Pearl Harbor.

Quando o Capitão América foi lançado, ele já lutava contra os países do Eixo, porém a maioria da população americana ainda acreditava que o país deveria se manter fora do conflito, pois a Primeira Guerra ainda estava marcada na memória de todos mas os roteiristas escreviam como se o país já estivesse na guerra, indo contra a vontade comum. Por que?

Primeiramente temos o fato óbvio de que eles faziam ótimos vilões!
Mas também, grande parte dos criadores de quadrinhos eram filhos ou netos de imigrantes judeus e  tinham um motivo extra para fazer do “seu” opressor o grande vilão de suas criações!

“Para fugir da discriminação que os judeus também enfrentavam nos Estados Unidos, alguns criadores mudaram seus nomes ou adotaram pseudônimos que escondiam sua origem judaica” Túlio Vilela (história pela USP)

Capitão América e a Guerra (fora dos quadrinhos)

Na época do lançamento dos quadrinhos os americanos não queriam participar da guerra, porém se viram “obrigados” após o atentado de Pearl Harbor, declarando guerra no final deste mesmo ano.

O governo americano precisava que os soldados acreditassem que venceriam a Segunda Guerra Mundial, e o Capitão América foi usado para isso! http://petitandy.com

Com uma população sendo “incluída” numa guerra sem querer, o governo americano precisava estimular seus soldados a acreditar que estavam fazendo isso pelo bem de todos e que não precisavam ficar assustados pois iriam vencer!

Pensando em tudo isso e com o grande sucesso dos heróis dos quadrinhos, o Capitão América era o personagem ideal!

  • Sabemos que ele tomou a injeção que o deixou super forte, mas ele ainda é um humano. Simplesmente isso. Sem poderes, assim como os soldados.
  • O Capitão é um patriota, pronto para se sacrificar pelo que acredita ser certo e defender os oprimidos.
  • É um grande pacifista que não gosta de guerra, por isso seu único item é um escudo: sua ideia é sempre de se defender e defender o mundo, não de atacar. (que foi a mesma posição dos Estados Unidos ao entrar na guerra) seu escudo só foi utilizado como uma espécie de arma (“bumerangue“) posteriormente.
  • Um militar, acima de tudo. O Capitão tem sim remorso (das vítimas que não salvou e dos vilões/terroristas que matou), mas é um militar e está pronto para o que vier.

Com o personagem perfeito para sua campanha, o governo dos Estados Unidos comprou vários lotes da revistas e as distribuiu no front de batalha, para os incentivar.
Esta ação deu muito certo e fez com que o Capitão América tivesse forte influência nos soldados americanos que recebiam seus quadrinhos.

Com a entrada na guerra os Estados Unidos passaram a ter grande influência política e militar no mundo inteiro. Com a imagem de “mocinhos”, passaram a interferir (direta ou indiretamente) nos costumes, na consciência e até na linguagem de todos os países.

Para divulgar esta filosofia, chamada de “american way of life“, o governo americano aproveitou para expandir a distribuição dos quadrinhos do Super-Homem e do Capitão América, pois ambos eram exemplos perfeitos de pessoas do bem, da moralidade e do patriotismo a ser seguido.

Fim do Personagem (de 1948 – 1964)

O governo americano precisava que os soldados acreditassem que venceriam a Segunda Guerra Mundial, e o Capitão América foi usado para isso! http://petitandy.comCom o fim da segunda guerra, a população deixou de comprar os quadrinhos.

A guerra havia sido muito longa e sofrida. Os heróis não ganharam a guerra linda e rapidamente como nas histórias.
Foram homens reais, que retornavam para casa com os traumas das coisas que viram e passaram, com sequelas físicas também.

Com a desilusão com os grandes heróis, as vendas foram caindo cada vez mais até que a revista foi descontinuada em 1948. Este problema só piorou a imagem do Capitão América quando em 1955 o país entrou na guerra do Vietnã.
Se você viu o filme do Rambo sabe bem que os soldados americanos estavam desmoralizados perante seu país após “perderem” a guerra.

Foi apenas em 1964 que Stan Lee resolveu ressuscitar o personagem criando aquela história de que ele havia caído no gelo do Atlântico Norte…. e fazendo uma segunda fase do Capitão bem mais legal que a anterior!

Adormecido por décadas, ele tem muita dificuldade em entender as mudanças que ocorreram durante este período, desde tecnológicas até o entendimento das religiões e a posição dos Estados Unidos perante o mundo. Nesta época ele começa a questionar as atitudes de seu governo, chegando em um ponto (história “guerra civil”) – a ficar contra o governo, chegando até a abandonar o uniforme!

Então, se você acha que o Capitão América é apenas mais um patriota americano, alienado e sem graça, está na hora de você conhecer melhor o personagem!

Andréia Campos
Escreva seu Comentário

* Preenchimento obrigatório. Seu email não será divulgado.
Quer que sua foto apareça no comentário? Clique aqui
8 comentários
  1. Nossa, ficou muito dahr esse post, eu amoooo o Capitão América, tem muita coisa legal nessa matéria pra quem ainda não sabe mt sobre ele! Amei.

    • andreia

      Becky,

      O Capitão América é um herói interessante mesmo! As vezes acho que ele é um pouco subjugado, pois as pessoas não sabem de sua real importância.
      É legal saber que existiu um herói dos quadrinhos que, de certo modo, acabou participando da guerra de verdade, né?

      Hehehe, super obrigada pelo comentário! Ele é um grande incentivador!

      Beijos!

  2. Olá! \o/
    O Capitão América tem uma história e origens bem interessantes. Seu patriotismo exagerado me irrita de vez em quando, assim como seu jeito “Super Homem” de ser, portanto ele não é meu herói preferido, mas ainda sim, tenho de admitir que ele tem uma influência enorme, não só para os estadunidenses, mas para o mundo todo.

    Amei seu post, de verdade! Super informativo e interessante! :D
    http://eujovemdemais.blogspot.com.br/

    • Hahaha, verdade! Ele realmente tem um pouco de “Super Homem”!
      Mas eu gosto muito dos conflitos do personagem… o próximo filme que irá sair, o “Guerra Civil”, vai te surpreender então. A história é que, o governo atual é corrupto e tem umas atitudes muito duvidosas. O Capitão, certinho como sempre, e passa a lutar contra o governo Americano, o que gera uma briga com o Homem de Ferro (que está apoiando o governo).
      Bem diferente dos papéis normais de cada um, né?

      Estou doida para que este filme seja lançado logo! Essa briga dos dois será fantástica!

      Beijos
      Andréia

  3. O Governo soube usar a imagem do herói sim.. Vivo falando brincando que o capitão é um porre nos quadrinhos, mas o patriotismo dele deveria ser exemplo para várias pessoas.. <3

    • O que achei interessante é que além de tudo ele ainda serviu para motivar os soldados americanos na Segunda Guerra… bem a cara do Capitão América!
      Então, eu tbm não gosto dessa coisa de “herói perfeito, sabe? Mas quando ele acorda do “coma” dele e está em uma sociedade totalmente diferente, ele passa por alguns dilemas éticos – chegando até a situação bizarra da série “Guerra Civil”, que vai ser o próximo filme -, a partir daí eu gosto muito do desenvolvimento psicológico do personagem.
      Antes o mundo tinha um inimigo comum. Hoje, nossos governos corruptos que são nossos inimigos. Acho bem interessante esta parte. Mas também… Stan Lee, né? Não preciso dizer mais nada!
      Heheheh, olha, eu adorei seu blog! Super fã, já!

      Beijos!
      Andréia

  4. Poxa, tem muita coisa aqui que eu não sabia e o filme não explica direito (eu nunca li os quadrinhos). Taí um post super explicativo.

    Mas mesmo assim, eu não gosto muito desses heróis fabricados. Gosto mais do Batman e do Iron Man :)

  5. Essa postagem me ganhou no título! Eu amo quadrinhos.. Tanto Marvel quanto DC! E eu acho muito interessante quando fazem uma ponte entre a realidade e a ficção, isso traz uma sensação de identificação maior com o público , na minha opinião. O que eu mais admiro nesse personagem especificamente é o caráter e a força de vontade que ele apresenta, independente de quando é forte ou de quando era franzino.
    Ótimo post!
    Beeijos!

    http://www.pimentaroja.com

Petit Andy no YouTube. Se Inscreva!